voltar MEC inicia consulta para Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia

Iniciativa faz parte do ACT entre ABDI e MEC. O prazo para envio das sugestões de propostas é até o dia 31 de janeiro de 2021

A Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), do Ministério da Educação (MEC), iniciou o período para atualização do Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia (CST). A iniciativa faz parte do Acordo de Cooperação Técnica (ACT), firmado entre a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o MEC, que vai apoiar o processo de aproximação com o setor produtivo e de busca por informações qualificadas a respeito das demandas por perfis profissionais, ocupações e competências. O objetivo é garantir que a oferta de cursos superiores de tecnologia possa caminhar alinhada com essas necessidades. 

“Nosso desafio é ajudar a diminuir a distância entre a oferta e a demanda de habilidades”, explicou a Gerente da Unidade de Transformação Digital, Adrielly Pedrosa. De acordo com a especialista, num cenário de transformação digital, algum grau de desequilíbrio entre a oferta e a demanda é inevitável, uma vez que a rápida mudança tecnológica exige o desenvolvimento constante de habilidades que só serão percebidas, desenvolvidas e alcançadas com algum atraso. “No entanto, um desequilíbrio persistente pode ter como resultado mercados de trabalho disfuncionais”, completou.

Para o secretário de Educação Profissional e Tecnológica, Wandemberg Venceslau, a integração de ações entre MEC e ABDI tem o intuito de alinhar as necessidades e possibilidades de atuação com as demandas da indústria. “Tudo isso visando uma maior efetividade na utilização do recurso público e na disponibilização de informações para a sociedade, que consistem, entre outras, no Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia, que vai orientar tanto setor público quanto setor privado nas ações de qualificação profissional tecnológica”, afirmou.

CST

As propostas serão recebidas por meio deste endereço.

É importante a participação de todos os agentes envolvidos para o fortalecimento dessa construção coletiva, que contribui também para conferir maior visibilidade, reconhecimento público e social dessas graduações. Após a análise será disponibilizada uma versão preliminar para ajustes, e em seguida será publicada, no portal do MEC, a versão final.

Podem participar da consulta preliminar as instituições de ensino superior públicas e privadas, conselhos estaduais e distrital de educação, conselhos de fiscalização do exercício das profissões regulamentadas, organizações representativas do setor produtivo, ministérios e demais órgãos públicos diretamente relacionados à respectiva área profissional ou eixo tecnológico.

catálogo possui, atualmente, 134 cursos superiores e se apresenta como um importante instrumento orientador para estudantes e instituições, consolidando informações e se mostrando como um referencial normativo para subsidiar o planejamento dos cursos de educação profissional tecnológica de nível superior. A última edição do catálogo foi aprovada em 2016.

Fonte: ABDI